Notícias

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA É DISCUTIDA EM AUDIÊNCIA NA ALESE


10/09/2019 14:16

postar-audiencia-publica_aac30aa953b6d055ddbfb4.jpg

Valorização da categoria e avanços nacionais e locais foram alguns temas da primeira audiência pública proposta pelo Conselho Regional de Farmácia de Sergipe (CRF/SE), em parceria com o deputado Estadual Georgeo Passos, e o Sindicato dos Farmacêuticos de Sergipe (Sindifarma-SE). O Panorama da Assistência Farmacêutica no cenário nacional e local foi o foco do debate e contou com a presença de parlamentares do estado, da Diretoria do Conselho Regional de Farmácia de Sergipe, além de professores da Universidade Federal de Sergipe (UFS), farmacêuticos profissionais, estudantes de Farmácia e proprietários dos estabelecimentos. 


Para o Deputado Georgeo Passos (REDE/SE), existe uma preocupação em valorizar os serviços farmacêuticos nas farmácias, assim como o cuidado em não deixar que alguns movimentos descaracterizem as atividades dos profissionais. Segundo ele, o evento foi uma oportunidade “para nós parlamentares dialogarmos e aprendermos mais sobre a Assistência e futuramente contribuir para a sociedade sergipana em melhores condições para os profissionais continuarem desempenhando sua missão”, destacou.


Georgeo revelou que não tinha o entendimento da responsabilidade e abrangência do profissional farmacêutico. “Saio daqui com uma outra visão sobre a atividade farmacêutica e reafirmando o meu compromisso em continuar apoiando a causa do CRF/SE”, ressaltou o Deputado.  


Palestras 


De acordo com Marcos Rios, presidente do CRF/SE, e palestrante na audiência é imprescindível a discussão sobre a valorização da assistência. As fiscalizações, realizadas pelo Conselho, buscam fazer um panorama no estado a fim de orientar o cumprimento de leis. “O perfil da assistência tem melhorado em farmácias do setor privado”, afirmou Rios, porém revelou a preocupação quanto as unidades de saúde da rede pública, devido a identificação de municípios em atuação sem cumprir a legislação. 


Para Rios, a audiência foi fruto da necessidade de retratar a Assistência Farmacêutica, para que os políticos ampliem a atividade em Sergipe. “Dessa maneira, compartilhar conhecimentos e fazer com que os parlamentares aprendam mais sobre a área é uma evolução em progresso”, afirmou o Presidente do CRF/SE. 


Gilcilene El Chaer, presidente do CRF/DF e membro da Frente Parlamentar do CFF, realçou em sua explanação a importância de haver políticas acerca dos farmacêuticos, que muitas vezes são vistos de maneira estereotipada e não sabem o potencial de trabalho em prol da saúde que representam.


“O farmacêutico é um promotor de saúde, é com quem os pacientes têm o primeiro contato ao entrar na farmácia, pode resolver vários transtornos menores, desafogando assim o Sistema Único de Saúde (SUS) e melhorando a qualidade de vida da população. Temos que trazer nossos problemas para a casa do povo, onde é discutida nossa legislação”, afirmou Gilcilene. 

Dentre os palestrantes também esteve presente o professor da UFS, Divaldo Lyra, que discursou sobre o papel da universidade dentro da Assistência Farmacêutica. “Para a consolidação da profissão é importante que o farmacêutico olhe para fora das próprias áreas de atuação e estabeleçam alianças políticas com atores que fortaleçam a prática”, contou ao reconhecer o importante evento para a área.


A luta continua


“É importante mostrar o papel da profissão farmacêutica e valorizá-la, porque ainda tem gente que não sabe o papel do farmacêutico”, revelou Alexandre Freitas, presidente da Comissão da Frente Parlamentar do CRF/SE. 


“A demanda da sociedade quanto a Assistência Farmacêutica tornou-se a área mais crescente dentro das Ciências Farmacêuticas. E também foi o fator responsável por quebrar o paradigma da formação farmacêutica, onde o paciente é o atual foco e não mais o medicamento”, explica Lucindo Quintans, professor de Fisiologia e Pró-reitor da Pós-graduação e Pesquisa (Posgrap) da UFS.


Quintans complementou  que o espaço do debate público também abriu espaço para discussões sobre a melhoria dos serviços e das formações na área, e parabenizou o CRF/SE pela iniciativa que permite a interação e discussão da sociedade sobre os serviços farmacêuticos. 


Para Tamires Siqueira, que trabalha na assistência farmacêutica do município de Lagarto a audiência pública foi de suma importância. “Hoje estou no núcleo da assistência farmacêutica de Lagarto e vejo a grande importância que está sendo pra nós poder levar para o nosso município uma assistência de qualidade. É disso que o povo precisa”. 


Já Cristiane Trindade, farmacêutica da Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju, contou que a audiência foi um marco para continuar a luta pelo fortalecimento da valorização e do reconhecimento profissional.

Ouvidoria