Notícias

Farmacêutico é agraciado com a medalha do mérito policial civil

Prêmio é a mais alta honraria da Polícia Civil de Sergipe


09/05/2019 14:04
Da esquerda para a direita, estão os peritos criminais Fabrício Costa, Luciano Homem e Carlos Eduardo.
Da esquerda para a direita, estão os peritos criminais Fabrício Costa, Luciano Homem e Carlos Eduardo.

 

No último dia 26 de abril, o farmacêutico e perito criminal Carlos Eduardo Araújo de Oliveira foi agraciado com a Medalha do Mérito Policial Civil, a mais alta honraria da Polícia Civil de Sergipe. O prêmio tem como objetivo condecorar profissionais da segurança pública ou instituições que, por seus méritos, desprendimento ou corporação, tenham se destacado no estado ou nacionalmente, contribuindo e auxiliando, para o desenvolvimento, aperfeiçoamento ou engrandecimento da Polícia Civil de Sergipe.

A cerimônia ocorreu no auditório do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe e, na ocasião, foram entregues medalhas a profissionais que atuam na segurança pública de Sergipe e de outras unidades da federação; assim como pessoas da sociedade civil que desempenham ações positivas para a população sergipana. Dentre esses profissionais, foram premiados mais dois peritos criminais além de Carlos, que conta que ficou honrado pela indicação. “Ter o nosso trabalho reconhecido, por meio desta tão importante honraria, é extremamente gratificante para mim, não apenas pelo caráter individual da homenagem, mas pelo reconhecimento da instituição a qual pertenço”, destaca o profissional.

Carlos é graduado em Farmácia pela Universidade Tiradentes e, atualmente, uma das suas áreas de atuação é como perito criminal na Coordenadoria Geral de Perícias da Secretaria de Segurança Pública de Sergipe (COGERP/SSP/SE). No órgão, ele desenvolve seus trabalhos no Laboratório de Química Forense, que é o responsável pelo exame pericial em drogas, medicamentos, alimentos, agrotóxicos, bebidas, combustíveis e outras substâncias que possuam relação com crimes cometidos. Ao falar sobre a sua carreira profissional, Carlos explica que, na SSP, o farmacêutico pode atuar em diversas áreas laboratoriais associadas à saúde, tais como Biologia Forense, Genética Forense, Toxicologia. Ele acrescenta ainda que há também “a possibilidade de o farmacêutico atuar em outras áreas genéricas da perícia, respaldo pelo extenso curso de formação que esses profissionais são submetidos para ingressar no cargo de perito criminal”.

Ouvidoria