Notícias

Farmacêutico é a peça chave no tratamento oncológico


28/10/2020 15:13

Outubro é o mês de conscientização sobre o câncer de mama. O mês termina no próximo dia 31 mas a campanha não acaba. Para falar um pouco da importância do tratamento a Série Bastidores da Atuação Farmacêutica traz a experiência da farmacêutica Katúcia Priscila Pinheiro de Brito, coordenadora de Farmácia da Oncoclínicas, que conta de que forma os farmacêuticos podem ajudar os pacientes durante o tratamento.

Katúcia afirma que o profissional farmacêutico é a peça chave na terapia oncológica. “Nós fornecemos a garantia da prática segura e da qualidade do processo da manipulação, padronização dos medicamentos e insumos utilizados, além de auxiliarmos na adesão terapêutica com efetividade e segurança”.

A farmacêutica conta que optou por essa área por indicação de uma amiga na época do estágio de conclusão o que abriu seus olhos para uma realidade na época bastante temida pela maioria dos profissionais e sem muitos recursos informativos da real atuação do farmacêutico. “Nesta escolha tive o prazer de conhecer excelentes profissionais bastante conceituadas no mercado como a farmacêutica Trícia Coelho, além da oportunidade de aprender da forma mais segura com a Farmacêutica Karinne Cruz. Hoje só posso agradecer a cada dia pela melhor escolha e por minha realização profissional”, revelou.

Sobre a sua rotina diária, Katúcia revela a constância da resiliência para exercer a profissão. “Somos marcados diariamente por novas emoções, problemas e concretizações que só deixam a nossa atuação ainda mais gratificante. Aos olhos do desconhecimento, o simples ato de manipular, é uma ação que traz consigo uma série de técnicas e particularidades de cada droga, que exigem acima de tudo concentração e conhecimento. A cada bolsa de preparo, além do amor doado nesta, é depositado pelo paciente total confiança no resultado positivo de seu tratamento. Por isso, precisamos acima de tudo estar bem, para partilharmos a mesma emoção”, afirma.

Sobre os tratamentos de uma maneira em geral a farmacêutica destacou que são marcados com eventos adversos e/ou colaterais, onde a necessidade de incorporar técnicas alternativas é cada vez mais evidente. Katúcia ressaltou que a dificuldade encontrada pelos pacientes ainda é o acesso, que apesar da existência de profissionais excelentes no mercado, existe um custo adicional envolvido, e partindo do ponto que o tratamento para o câncer tem um custo alto, a inclusão de novos gastos, mesmo com o conhecimento da melhoria dos resultados da terapia é de fato o ponto de impedimento que a maioria enfrenta. De acordo com ela apesar do Sistema Único de Saúde (SUS) oferecer algumas técnicas, existe o problema das filas que só dificultam esse acesso.

Segundo Katúcia, existem uma série de tratamentos alternativos como yoga, acupuntura, reiki, entre outros, que na avaliação dela além de minimizar a toxicidade dos protocolos, favorecem na melhoria da qualidade de vida deste paciente. “A redução do stress que estas técnicas proporcionam, fortalecem os laços que o paciente deposita na terapia, de modo que favorecem a adesão que é o ponto fundamental do tratamento, principalmente na terapia oral, em que o paciente é o responsável por suas ações no uso domiciliar”, conta.

Sobre a prevenção da doença a farmacêutica faz uma alerta e recomenda a prática de atividade física e melhoria dos hábitos alimentares, redução do consumo de bebidas, evitar fumar e manter uma rotina adequada de exames anuais. Para aquelas pessoas que foram diagnosticadas com a doença ela deixa a mensagem para que a notícia de ter um câncer apesar de atrapalhar os sonhos naquele momento, as pessoas não deixem de confiar em Deus e mantenham a sua fé.

Katúcia aproveitou para parabenizar o Conselho de Farmácia por ter uma gestão bastante empenhada em campanhas que demonstram a importância da atuação farmacêutica, não só no Outubro Rosa mas, ao longo de todo o ano. “O CRF vem desempenhando cada vez mais, o papel fundamental que tem, na manutenção dos benefícios sociais relacionados aos serviços ofertados pelos profissionais farmacêuticos, além de contribuir de forma regular com o estreitamento entre a população e esse profissional’, destacou.

Ouvidoria