Notícias

DIRETORIA DO CRFSE SE REÚNE COM O SINDISCOSE


27/02/2020 11:57

whatsapp-image-2020-02-27-at-11-41-13_f1900eb40fc812e0a3439b5b.jpeg

A diretoria do Conselho Regional de Farmácia de Sergipe recebeu o presidente do Sindicato dos Servidores em Conselhos e Ordens de Fiscalização Profissional e Entidades Coligadas e Afins do Estado de Sergipe (Sindiscose), Igor Fernando Baima, para discutir o Plano de Cargos e Salários dos colaboradores.

De acordo com a Tesoureira do CRFSE, Larissa Carvalho, essa foi a primeira vez que o Conselho abriu as portas para receber o Sindiscose e já nesse primeiro momento a diretoria manifestou o total interesse em atualizar o plano de cargos, carreiras e salários.

“O atual Plano de Cargos e Salários do CRF é de 29 de outubro de 1998. Já se passaram mais de 20 anos, e alguns cargos, por exemplo, não estão contemplados nele, além de não prever algumas condições necessárias tanto para os servidores quanto para os gestores. Então, foi um momento bastante oportuno em que abrimos um canal de diálogo para que possamos atualizar esse plano em conjunto, contemplando a todos”, adiantou a Tesoureira.

Segundo Larissa, a diretoria do Conselho estabeleceu um prazo para apresentar uma proposta de plano corrigido e atualizado ao Sindiscose, que também fará contribuições e, em seguida, as entidades irão discutir ponto a ponto para ser criado um acordo de convenção coletiva regido pelo novo Plano de Cargos e Salários, chegando num acordo justo para ambas as partes.

Para Igor Baima, o principal objetivo da reunião foi estabelecer relações com a categoria através da entidade sindical. “O CRF pretende atualizar tabelas, criar e regulamentar alguns cargos e funções e para isso chamou o sindicato. Nós ficamos felizes que o CRF Sergipe tenha a compreensão de reconhecer e valorizar os servidores da casa e reunir com o Sindicato é uma forma transparente e tranquila de estabelecer esse processo de mudanças do PCS. A ideia é que todas as modificações possam constar no Acordo Coletivo de Trabalho, assim como os salários que serão corrigidos esse ano”, disse o presidente do Sindiscose.

Ouvidoria