Notícias

SAÚDE MASCULINA IMPORTA!


31/10/2019 18:03

whatsapp-image-2019-10-31-at-11-43-01_104c1a86ca72ca5fa9d7b.jpeg

O mês de novembro é marcado pelo movimento mundial que reforça a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata, o Novembro Azul. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a doença é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens brasileiros. É nesse contexto que a Ascom do Conselho Regional de Farmácia de Sergipe (CRF/SE) conversou com Cláuber Trindade Emídio, farmacêutico responsável técnico da San Giovanni Oncologia e do Centro de Oncologia Dr. José Geraldo Dantas Bezerra (AVOSOS). 

“Todos os farmacêuticos, independentemente da linha de atuação, devem desempenhar o papel de educador em saúde e conscientizar a população masculina a procurar um urologista a partir dos 50 anos de idade ou partir dos 45 anos para a população masculina negra e aqueles com histórico de câncer de próstata na família”, alerta o farmacêutico. Segundo os dados mais recentes do Inca, no Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, sendo o tipo de câncer mais comum entre eles. 


A doença possui diferentes sintomas para cada estágio. Inicialmente o câncer é caracterizado como uma doença silenciosa, “quando apresentam sintomas se assemelham a um quadro de hiperplasia benigna da próstata, com dificuldade de urinar e aumento da necessidade de urinar durante todo o dia”, explica Claúber. Já em estágios mais avançados, o paciente pode apresentar sensibilidade óssea, problemas urinários, como infecções e insuficiência renal.


Os melhores resultados durante o tratamento podem ser obtidos quando o tumor é identificado em sua fase inicial. Alguns sinais envolvem a urina como principal elemento de reconhecimento dos sintomas, mesmo que não sejam causados unicamente pelo câncer de próstata, é recomendável procurar um médico para investigá-los, como dificuldade para urinar, diminuição do jato de urina, aumento da necessidade de urinar durante todo o dia e presença de sangue na urina.


É necessário ficar atento aos fatores de risco que acometem à doença, conheça os principais:

- A idade, visto que os quadros de ocorrência e mortalidade aumentam substancialmente após os 50 anos de idade;

- Fator genético (hereditariedade);

- Excesso de peso, hábitos alimentares e estilo de vida;

- Raça, pois os homens negros têm maior risco de desenvolver câncer da próstata;

- Exposições ocupacionais a compostos químicos, como a arsênio (presente em

agrotóxicos), produtos derivados de petróleo, aminas aromáticas (amplamente

utilizada na indústria), entre outras substâncias químicas. 


Dentre os cuidados que devem ser tomados a fim de diminuir a chance do paciente desenvolver um câncer, incluindo o de próstata, estão os hábitos de vida saudáveis, como por exemplo, alimentação adequada e prática de exercícios e evitamento ou diminuição do consumo de bebidas alcoólicas. 


Autocuidado 

Discutir sobre o câncer de próstata para muitos é um problema que envolve medo e tabus machistas. Os homens devem ficar alertas para a educação sobre a própria saúde, assim se faz entender a necessidade da importância do autocuidado. “Uma considerável parcela da sociedade masculina apresenta receio e preconceito com a modalidade do exame de toque retal, para identificação de possíveis anormalidades na próstata”, relata o farmacêutico Claúber, e logo em seguida afirma que é importante fazer com que os pacientes entendam que a masculinidade não está relacionada com um exame e que isso poderá auxiliar na detecção precoce do câncer e as chances de resultados positivos aumentam se descoberto em fases iniciais.

 

O papel do farmacêutico 


Segundo Claúber, o profissional farmacêutico deve saber como abordar a população masculina, seja no momento da dispensação, ou consulta farmacêutica e falar da importância de manter uma alimentação saudável, da prática de exercícios físicos (específicos para cada paciente e condições individuais) e saber identificar sinais e sintomas que possam estar relacionados ao câncer de próstata para que sejam realizados encaminhamentos para a equipe multidisciplinar sempre que necessário.


Questionado sobre como o farmacêutico pode atuar na conscientização da doença, Claúber apresenta algumas dicas. “Devem ser feitas abordagens verbais sobre a importância de hábitos saudáveis e sobre a necessidade da procura por um urologista a partir dos 50 anos de idade, já para os  negros e aqueles com histórico de câncer de próstata na família é importante salientar a ida ao médico a partir dos 45 anos”, afirma. E acrescenta que o profissional também pode auxiliar na elaboração de materiais impressos que podem ser distribuídos para toda a população, a fim de atingir um público maior e dessa forma, intensificar a educação em saúde.


O farmacêutico explica ainda que é importante que o homem entenda que deve-se cuidar da saúde em todos os sentidos, inclusive com a saúde mental. Para discutir e desmistificar a doença, o paciente precisa ter ciência de todas as etapas do tratamento, e entender também que o câncer não é uma sentença de morte. “Para alguns é necessário transformar o medo em atitude e procurar sempre por profissionais que possam te auxiliar. O profissional farmacêutico pode fazer isso por vocês!”, complementa.

Ouvidoria