Notícias

28.09.2018

DIA INTERNACIONAL DO FARMACÊUTICO: ENTREVISTA COM EULER CARVALHO



Em homenagem ao Dia Internacional do Farmacêutico, comemorado na última terça-feira, 25 de setembro, o Conselho Regional de Farmácia de Sergipe (CRF/SE) conversou com diversos farmacêuticos sobre essa profissão e sobre o que ela significa em suas vidas. Para encerrar essa série de entrevistas, o escolhido foi o profissional Euler Nabuco Silveira de Carvalho, que é farmacêutico com habilitação em indústria e possui pós graduação em Farmácia Hospitalar e em Farmácia Clínica. 

 

CRF/SE - Como e quando o senhor decidiu que queria trabalhar com essa profissão?

EC - Desde da juventude sonhava em ser cientista ou atuar em área semelhante, fascinado pelo mecanismo de como funcionavam as coisas no meu redor, com a influência da família que utilizava plantas medicinais para resolver diversos problemas de saúde. Conhecimento passado dos avós e dos pais. Antes de ingressar na universidade, tinha a visão limitada que o farmacêutico pesquisava e fazia o medicamento.  Ao cursar Farmácia descobri um leque fasto e fascinante de áreas de atuação. 

 

CRF/SE - Poderia falar um pouco sobre a sua trajetória dentro da Farmácia?

EC - Já trabalhei na vigilância sanitária, distribuidora e na farmácia comunitário. Atualmente trabalho na assistência farmacêutica como um todo e um pouco mais.  No início da implantação do serviço, em 2002, era conhecido como enfermeiro, a farmácia era uma bagunça onde vários servidores tinham livre acesso. Com o apoio dos Secretários de Saúde, começamos a organizar a farmácia, com a graça de Deus, com muitos desafios enfrentados, trabalho árduo e persistência, conseguimos computador, internet, climatização, acesso restrito aos funcionários, criação de controles, abertura de livro de controle especial que esse ano evoluímos para sistema Horus, reconhecimento profissional, mais funcionários capacitados, houve a contratação de mais uma farmacêutica e ampliação de áreas físicas.

Os resultados das atividades são registrados nos relatórios quadrimestrais e anual. E fornecido ao crivo e aprovação do conselho municipal de saúde.

 

CRF/SE - No seu contexto atual de atuação, quais são as suas atribuições enquanto farmacêutico e como elas auxiliam no tratamento mais completo ao paciente?

EC - Compreendo a secretaria de Saúde como grande relógio onde cada um de dos servidores são engrenagens importantes para que o relógio funcione, as engrenagens tem que se mover de forma harmônica. Para isso não posso olhar apenas pro meu, mas também como melhorar e ajudar o meu próximo para manter esse grande relógio funcionando.

Na logística, atuo desde o planejamento do que vai comprar, quanto vai comprar, com base na média de consumo anual entre outros parâmetros; Na reavaliação anual da REMUME com a Comissão Farmacoterapêutica composta por vários profissionais; passando pela elaboração do processo de licitação, análise da qualificação técnica;

Como conselheiro Municipal de Saúde representando a classe trabalhadora visando a melhoria do serviço, condições de trabalho e buscar convencer na contratação de mais profissionais farmacêuticos para suprir as carências; 

Na dispensação orientada, quando o paciente necessita de um atendimento diferenciado ou explicação, já que na maioria das dispensações, vai ter um atendimento rápido pela atendente de farmácia, pois senão a fila não anda; As atendentes são capacitadas, passam por avaliação para registrar se tem o perfil, com o aprimoramento diário mútuo fazem a triagem para os casos que necessitam de minha intervenção. Somos aberto como equipa para sugestão de como aprimorar o serviço, reavaliar ações e com essa abertura evoluímos bastante; Buscamos trocar informações com as equipes do programa de saúde da família e aprendemos muito com todos eles.

Recentemente fui incorporado ao NASF, muito desafiador e cativante, já iniciei atendimento ambulatorial e domiciliar, mas estou indo aos poucos pela escassez de tempo. 

Trabalho para tentar garantir que o medicamento de qualidade chegue ao usuário e que ele faça uso de forma correta para a promoção, prevenção e recuperação de sua  saúde.

 

CRF/SE - O que a profissão farmacêutica significa pra você?

EC - Além de realização profissional, é uma profissão dinâmica e em constante evolução, que precisa de atualização constante, que a cada dia aproxima o usuário ao profissional de saúde, para o seu bem estar e qualidade de vida.

 

Para saber mais sobre a campanha do CRF/SE para o Dia Internacional do Farmacêutico 2018, fique atento ao nosso site e às nossas redes sociais.







Copyright © 2018
Direitos Reservados