Notícias

23.01.2018

CRF/SE REALIZA I SEMINÁRIO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS EM PROL DO DIA DO FARMACÊUTICO



Iniciando as comemorações ao Dia do Farmacêutico (20 de janeiro), o Conselho Regional de Farmácia de Sergipe, em parceria com o Setor de Farmácia Hospitalar do Hospital Universitário de Sergipe (SFH) e com o apoio do Sindicato de Farmacêuticos de Sergipe (Sindifarma) e da Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde Regional de Sergipe (SBRAFH/SE), realizou o I Seminário de Ciências Farmacêuticas, na manhã da última sexta-feira, 19, no auditório do Hospital Universitário (HU).

 

A abertura do evento se deu com a fala do Presidente do CRF/SE, Marcos Cardoso Rios, e o evento também contou com a presença do Msc. Dalmare Anderson Sá - presidente do Sindifarma SE, do Prof. Dr. Marcos Albuquerque - representante da superintendência do HU, de Maria das Graças de Almeida - presidente da SBRAFH Sergipe e de Fábio Ramalho, Tesoureiro do CRF/SE, como chefe do serviço de Farmácia do HU.

 

O presidente do CRF/SE, Marcos Rios, fez um panorama da atuação do Conselho de Farmácia, explicando o papel e a função do órgão e apresentou as diretrizes da nova gestão para o biênio 2018/2019. Em primeira mão, Marcos deu conhecimento aos participantes do Seminário da nova marca do CRF/SE que será lançada nesta terça-feira, 23, durante a primeira reunião plenária de 2018, como também anunciou a criação da ouvidoria e de um novo site, mais moderno e interativo que vai proporcionar um novo canal com o farmacêutico através da implantação da era digital dentro do CRF/SE.

 

“O nosso objetivo inicial aqui no Seminário foi apresentar o Conselho, dizer aos colegas que estamos de portas abertas e que queremos o farmacêutico trabalhando conosco, lado a lado na nossa gestão. Precisamos ter a dimensão que é nossa função zelar pela observância dos princípios da ética e da disciplina dos farmacêuticos na sociedade. Assim, considerando a ética como um posicionamento pessoal de todo o farmacêutico, exerceremos o poder de fiscalização sem, no entanto, deixar de discutir e participar com outros órgãos que representam a categoria sobre melhorias da profissão. Nesta passagem do nosso Dia que é comemorado no dia 20 de janeiro, aproveito para parabenizar todos os farmacêuticos sergipanos”, acrescenta Rios.

 

A primeira palestra do Seminário abordou o “Passo a passo para a implantação de Serviços Clínicos Farmacêuticos”, ministrada pela Prof. Dr.ª Giselle Brito. Segundo ela, os serviços clínicos farmacêuticos é um assunto que está bastante em voga, por conta da mudança de paradigma que as novas resoluções do Conselho Federal de Farmácia (CFF) trouxeram para o exercício da profissão farmacêutica. O foco da discussão saiu da produção de medicamentos e passou a ser a pessoa e suas demandas. Como profissional de saúde estabelecido, o farmacêutico, portanto, necessita atender às demandas sociais, fazendo com que os medicamentos atinjam o sucesso terapêutico. Antes, o foco do trabalho era a garantia do acesso aos medicamentos, mas ele não garantia o sucesso da farmacoterapia. Hoje, o profissional pode identificar os problemas previamente e trazer a orientação correta sobre esses medicamentos. “A dispensação, no ambiente da farmácia, acaba sendo o serviço principal para a tiragem e identificação dos problemas que podem acontecer. Alguns deles podem ser resolvidos durante a dispensação, com a orientação desse paciente, e em outros casos, o próprio farmacêutico pode identificar se o paciente deve ser encaminhado para outro serviço de saúde ou para outros serviços clínicos farmacêuticos”, explicou Giselle.

 

Em seguida o Prof. Dr. Lysandro Borges ministrou a palestra “Cuidado Farmacêutico de Excelência diante das novas tecnologias e parâmetros no HIPERDIA: interpretação de exames clínicos e laboratoriais”. Lysandro acredita que o farmacêutico, como profissional de saúde, precisa estar preparado para cuidar do hipertenso e do diabético, com as novas tecnologias disponíveis na atualidade. Segundo ele, a nova diretriz da hipertensão, publicada no fim de 2017, mudou os parâmetros de classificação e que impactaram diretamente nos números de doentes. Hoje são estimados que 46% da população é hipertensa, e não mais 32%, como era conhecido, acrescenta. Já em relação ao diabetes, surgiram novos aparelhos que tornam desnecessário o incômodo furo no dedo para a medição da glicose, graças a sensores que monitoram sua insulina por 24h em 14 dias. Para evitar as duas doenças, além da obesidade e do sedentarismo, Lysandro dá as seguintes dicas para a população: “Tudo já está muito bem descrito na literatura: o exercício físico (no mínimo 30 minutos, três vezes por semana), uma dieta balanceada, redução dos carboidratos, redução do sal – inclusive nos produtos industrializados (na verdade, tentar abolir esses produtos) -, frutas, verduras e vegetais e proteína animal magra. Evitar o consumo de álcool e o tabagismo”.

 

 

Para Marcos Rios, eventos como este, continuarão sendo promovidos pelo CRF/SE e ajudarão a qualificar a Assistência Farmacêutica em Sergipe. 







Copyright © 2018
Direitos Reservados